Consulta Medicina
Tradicional Chinesa

Visa o equilíbrio físico, emocional e energético do indivíduo,
quer numa perspetiva curativa, quer numa perspetiva preventiva

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) surgiu na China há milhares de anos e mantém-se ainda hoje como uma abordagem de referência na promoção de Saúde e Bem-Estar, quer na perspetiva preventiva, quer na perspetiva curativa, em todo o mundo

Mais do que tratar sintomas e queixas, a MTC trata as causas da doença, ou seja, trata as desarmonias que estão na origem da referida manifestação (queixa). As queixas que o Indivíduo apresenta resultam de uma desarmonia, num ou vários Sistemas Internos do Organismo. Desta forma, a Medicina Chinesa procura restabelecer o equilíbrio e harmonia dos diversos Sistemas Internos, e assim eliminar a queixa.

A Medicina Chinesa assenta em cinco pilares principais: Acupunctura, Massagem TuiNa, Fitoterapia, Dietética (Alimentação Energética) e Chi Kung. Adicionalmente existem técnicas complementares como Moxabustão, Ventosoterapia, Auriculoterapia, Gua Sha, entre outros.

5_PilaresMTC

Em que consiste uma consulta de Medicina Chinesa?

O Diagnóstico em Medicina Chinesa consiste na identificação da condição energética do Indivíduo, ou seja, identificar quais os Sistemas que estão em equilíbrio energético e os que se encontram em desarmonia energética.

Adicionalmente, para os Sistemas que se encontram em desarmonia, é necessário identificar o tipo de desarmonia energética – se estamos perante um quadro de deficiência, excesso ou estagnação energética.

Para a elaboração de Diagnóstico em Medicina Chinesa recorre-se a um conjunto de questões, que permitem identificar a condição energética de cada Sistema. Adicionalmente analisam-se microssistemas, nos quais se expressa a condição energética de todo o organismo, como a língua e o pulso e ainda à palpação de meridianos e/ou do abdómen como forma de concluir.

Tanto a língua como o pulso são microssistemas à luz da Medicina Chinesa que refletem a condição energética dos vários Sistemas que constituem o nosso organismo

Na língua analisa-se parâmetros tais como a cor, forma e mobilidade da língua e ainda a existência de capa e suas caraterísticas. A combinação da análise de cada um destes parâmetros permite ao terapeuta identificar a condição energética do organismo do paciente.

Pulso_MedicinaChinesa

Outro dos microssistemas utilizados é o pulso. Existe 3 posições distintas em cada pulso (o direito e o esquerdo) e ainda três níveis de profundidade em cada uma das posições anteriores. E analisa-se parâmetros tais como frequência e ritmo cardíaco, força, consistência, amplitude, largura, extensão e profundidade do pulso. A combinação dos vários parâmetros permite identificar também a condição energético dos vários sistemas internos do nosso organismo.

O abdómen também é considerado um microssistema, no qual através de palpação é possível identificar a condição energética dos vários Sistemas do organismo – esta técnica de diagnóstica é muito usada para efeitos de prescrição da Fitoterapia Clássica de Medicina Chinesa.

 

Após concluir o Diagnóstico de Medicina Chinesa, defino os princípios terapêuticos e as abordagens terapêuticas a usar para restabelecer o equilíbrio do organismo. Para isso recorro aos vários pilares da Medicina Chinesa.

Desta forma, nas consultas presenciais, o diagnóstico é realizado com base em interrogatório clínico, avaliação de parâmetros da língua e pulso e ainda palpação de abdómen e meridianos. O tratamento é baseado nos pilares necessários e ajustados ao caso clínico.

Por sua vez, nas consultas online, realiza-se diagnóstico com base em interrogatório e análise de parâmetros na língua. O tratamento é baseado na prescrição de Fitoterapia, Alimentação Energética e movimentos de Chikung, que sejam necessários e ajustados ao caso clínico.

A periodicidade das consultas é em função da condição energética do paciente.

Apresento de seguida, de forma mais detalhada cada um dos pilares da Medicina Chinesa.

Acupuntura

A Acupuntura é o pilar da Medicina Chinesa que tem maior projeção mundial, sendo inclusivamente recomendada pela organização Mundial de saúde para o tratamento de diversas patologias.

A prática de acupuntura consiste na introdução de finas agulhas de acupuntura nos pontos de acupuntura, de forma a estimular e promover o cumprimento adequado das funções energéticas do organismo e assim restabelecer o equilíbrio do mesmo.

O nosso organismo tem centenas de pontos de acupuntura, que são pontos onde se localiza uma maior concentração de Qi (energia) e relacionam-se como o Sistema Nervoso e Muscular. Muitos desses pontos estão ligados entre si, através de um percurso energético que se designa por meridiano. Existe 12 meridianos principais. Para além destes pontos, existem ainda pontos que se localizam fora destes trajetos e são considerados pontos extra.

A seleção dos pontos de acupuntura a utilizar, depende da condição energética do individuo e da abordagem terapêutica selecionada pelo especialista de Medicina Chinesa.

Raquel Gaspar- Medecina Chinesa

Dentro da área da Acupuntura existe uma outra área que se denomina de Moxabustão, que consiste na aplicação de calor nestes pontos ou meridianos, através da combustão de um composto específico de Artemísia Vulgaris ou Artemísia Princips. Esta aplicação tem propriedades analgésicas, antipiréticas, diuréticas, promovendo a cura em diversas patologias.

Entre as diversas indicações clínicas da Acupuntura, destaco:

Massagem TuiNa

 

A Massagem Tuina é a massagem terapêutica da Medicina Chinesa e consiste na manipulação manual de pontos de acupuntura, meridianos e ainda estruturas musculares, de acordo com o que se pretende tratar.

É uma massagem terapêutica, que não sendo uma massagem de relaxamento, pode proporcionar uma sensação de alívio e relaxamento final.

À semelhança de qualquer outro dos pilares da Medicina Chinesa, a Massagem TuiNa, promove o equilíbrio do organismo e requer não só uma boa aplicação das várias técnicas que constituem este tipo de massagem, mas também o correto diagnóstico da condição do Indivíduo. 

A Massagem TuiNa tem como exemplos de indicações clínicas:

Ventosoterapia é uma técnica que permite a sucção da pele através de vácuo com ventosas (normalmente de vidro, mas também pode ser de bambu e outros materiais) promovendo a ativação e circulação de sangue e energia na zona em questão.

Em geral, uso esta técnica no tratamento de patologias músculo-esqueléticas, tais como tensão muscular e contraturas musculares e ainda patologias do foro respiratório, tais como tosse, asma e existência de mucosidades nas vias aéreas.

Das várias técnicas complementares da Medicina Chinesa, a Ventosoterapia é a técnica que mais uso, pela sua simplicidade e eficácia no tratamento das questões referidas.

Guasha é uma técnica de raspagem da pele, que promove a circulação de energia, removendo assim um bloqueio de energia superficial. Este bloqueio energético pode causar dor – por exemplo nas costas, pescoço, pernas e nádegas, ou pode traduzir-se em afecções do foro respiratório ou ainda existênica de enxaquecas ou cefaleias (dores de cabeça).

Fitoterapia

A Fitoterapia é a área da Medicina Chinesa que recorre ao uso de plantas e ervas medicinais.

A sua utilização pode ser individual, ou combinada com outras plantas, quer na forma de chás, comprimidos, cápsulas, tinturas, xaropes ou emplastros.

Há que não esquecer que qualquer planta que se tenha no quintal, tanto pode ser remédio como veneno para a condição energética da pessoa, em determinado momento. Por isso, a prescrição de plantas requer que seja previamente realizado diagnóstico, à semelhança de que se verifica para a utilização de qualquer outro pilar da Medicina Chinesa.

Por exemplo, a Cidreira, tão comum em Portugal e tão usual encontrar entre os chás que temos em casa, é uma planta que não é recomendada a pessoas que sofram qualquer disfunção da tiroide.

A Fitoterapia é uma das áreas da Medicina Chinesa que me apaixona, na medida em que é o retornar ao que a Natureza nos providencia para cuidarmos de nós, é de simples utilização e bastante eficaz. Temos desde os chás e mezinhas de conhecimento geral até a combinações mais especificas e com plantas não tão conhecidas, que têm uma acção muito específico no tratamento de determinadas patologias, cuidado da causa e assim eliminado a queixa.

A utilização de plantas tanto é usada cem condições de debilidade do organismo, como em quadros de excesso ou de estagnação.

Na minha prática clínica recorro com bastante frequência à prescrição de fitoterapia, essencialmente na forma de chás e comprimidos, pis permite que a pessoa continue a fazer tratamento diariamente em casa. Desta forma, por um lado a pessoa assume responsabilidade no seu tratamento e por outro lado permite espaçar consultas – assegurando no entanto, os resultados pretendidos de tratamento e cura.

Prescrevo fitoterapia, quer como complemento aos restantes pilares, quer como pilar principal de tratamento.

Por exemplo, há pessoas que têm medo ou desconforto relativamente à acupuntura, ou que por diversos motivos fazem as consultas online. nestes casos, a Fitoterapia aliada à Dietética Chinesa são os elementos chave do tratamento.

Entre as diversas indicações clínicas da Fitoterapia, destaco:

Dietética Chinesa

 

A Dietética Chinesa é um dos pilares da  Medicina Chinesa. Sendo uma das vertentes terapêuticas fundamentais no restabelecimento e manutenção da condição de equilíbrio do indivíduo. Daí a tão famosa expressão “Somos o que Comemos”.

E já Hipócrates acrescentou “Que o vosso alimento seja o vosso primeiro medicamento”.

Na Dietética Chinesa, os alimentos são vistos tendo em conta as suas características energéticas, tais como o sabor, natureza, cor e tropismo, em função das quais têm ações específicas no organismo após a sua ingestão.

Utilizo este pilar quer de forma complementar aos restantes pilares da Medicina Chinesa, quer de forma isolada, nomeadamente através da consulta de Dietética Chinesa.

Caso pretenda saber mais sobre este pilar, carregue aqui.

Chikung

Chikung  ou Qigong é “a arte de manipulara energia com êxito”, sendo uma forma de meditação em movimento.

O Chikung é uma prática energética que consiste numa sequência de posturas e/ou movimentos lentos/fluidos e suaves aliados a respiração específica.

A prática de Chikung promove o desenvolvimento da energia Vital do ser Humano, potenciando o autodesenvolvimento do Indivíduo e é indicado para todas as idades, desde crianças a idosos.

O Chikung atua nos vários níveis do Indivíduo: o mental, o emocional e energético – recorrendo para o efeito a uma respiração conectada.

No âmbito da Consulta de Medicina Chinesa, sempre que necessário, prescrevo a prática de movimentos de Chikung ajustados à condição clínica da pessoa e que irão promover a recuperação da sua condição de equilíbrio.

Adicionalmente promovo a prática de Chikung online, através de aulas regulares e de Oficinas de Chikung. Se pretender saber mais, carregue aqui.